Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

terça-feira, 16 de abril de 2013

As vezes um talvez

Ao acordar, atrasada como sempre me deparei com um beija flor. Pensei: talvez seja um sinal de sorte, que o dia hoje vai ser bom e me trazer esperança. Segui minha rotina como se esquecesse esse pensamento positivo ao passar das horas. Acontece que, talvez, o beija flor não tenha trazido tanta sorte assim. Uma angustia tomou conta de mim logo que percebi que eu talvez não seja tão boa quanto penso, talvez que eu não seja tão esperta, nem tão especial assim. Sei que todos tem problemas e que mais cedo ou mais tarde eles aparecem no caminho pra nos ensinarem algo, mas dói. Me corta por dentro desacreditar em tudo que eu sonho, saber o quanto longe é a estrada por onde tenho que seguir. As vezes acho que não vou aguentar mais, lagar tudo e sair correndo, mas não tem como fugir da vida pra sempre. Talvez eu venha achando que tudo pode dar certo no final (quero continuar achando isso), mas que pequenas coisas podem transformar o dia. Não tem como não pensar em como eu me sinto um fardo, ou um peso pra algumas pessoas e que só tem um jeito de conseguir fazê-las perceberem e terem orgulho de mim. Se sentir como um pedaço de pedra isolado e no caminho errado. Tem tanta gente com dor de cabeça antes de dormir por preocupações graves, e me sinto fútil. E o que esperar quando parece que é só incerteza pela frente? O talvez.