Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

About you

Todos os dias parecem ser os mesmos, me pergunto o quanto vai durar essa rotina. Aliás, eu tento ter uma rotina, mas tudo que eu sei fazer é quebrar todas as regras que eu mesmo imponho. Tenho sempre que de alguma maneira estragar tudo, magoar as pessoas que eu amo e me fechar pra ninguém vir me encher. Tenho sorte de ter me libertado por dentro, apesar de parecer que só me tranquei mais e mais. Quando penso em coisas ruins, automaticamente não desvio mais o pensando, porque me conheço o suficiente pra saber que eu só vou melhorar quando expor todas as minhas ideias e organizá-las na minha cabeça. Tenho 19 anos e as vezes um coração de uma pessoa de sessenta, me sinto amargurada como se minha vida já estivesse escrita, é simples assim: realizo alguns sonhos, me decepciono com a maioria, perco as pessoas que eu amo aos poucos, tenho um trabalho que dependendo do dia eu detesto e nos outros é indiferente. A única coisa que não me deixo decepcionar é com o amor. O amor fica, o amor de todos que partiram, o amor que cresceu de algo pequeno e se tornou espetacular, o amor das amizades... A maior prova de amor que eu recebi foi a sensação de ser inteiramente correspondida, não importa o quanto o tempo passe ou o quanto eu passe a cada vez mais desacreditar no futuro da humanidade, o amor sempre vencerá todos os tabus, a partir dele existe a mudança, as pessoas mudam por ele. Eu mudei por você, me orgulho disso e esse espaço vazio que eu sempre senti se preencheu. Se de algum jeito o mundo ficar cinza, eu me lembro de você e por mais que não deixe tudo colorido com cores vibrantes, o cinza meio que derrete e eu vejo um pouco melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário