Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

terça-feira, 16 de abril de 2013

As vezes um talvez

Ao acordar, atrasada como sempre me deparei com um beija flor. Pensei: talvez seja um sinal de sorte, que o dia hoje vai ser bom e me trazer esperança. Segui minha rotina como se esquecesse esse pensamento positivo ao passar das horas. Acontece que, talvez, o beija flor não tenha trazido tanta sorte assim. Uma angustia tomou conta de mim logo que percebi que eu talvez não seja tão boa quanto penso, talvez que eu não seja tão esperta, nem tão especial assim. Sei que todos tem problemas e que mais cedo ou mais tarde eles aparecem no caminho pra nos ensinarem algo, mas dói. Me corta por dentro desacreditar em tudo que eu sonho, saber o quanto longe é a estrada por onde tenho que seguir. As vezes acho que não vou aguentar mais, lagar tudo e sair correndo, mas não tem como fugir da vida pra sempre. Talvez eu venha achando que tudo pode dar certo no final (quero continuar achando isso), mas que pequenas coisas podem transformar o dia. Não tem como não pensar em como eu me sinto um fardo, ou um peso pra algumas pessoas e que só tem um jeito de conseguir fazê-las perceberem e terem orgulho de mim. Se sentir como um pedaço de pedra isolado e no caminho errado. Tem tanta gente com dor de cabeça antes de dormir por preocupações graves, e me sinto fútil. E o que esperar quando parece que é só incerteza pela frente? O talvez.

quinta-feira, 21 de março de 2013

Epifanias

Me lembro como se fosse ontem da minha infância, via o mundo de uma forma tão inocente e doce que acabava não vendo como as coisas poderiam se prender e transformar tudo em uma vasta neblina. Tantas oportunidades e jeitos diferentes de ser, falar que quando crescer teria mais de cinco profissões, acabando vendo meus sonhos se desmanchando e restando poucos deles, que quero guardar e seguir com eles em frente independente das circunstancias, torcendo para que dê certo. Meu mundo era aconchegante, um misto de conforto, harmonia e certezas. Hoje só vejo desrespeito e maldade, frieza que tudo aquilo se perde no tempo, mas no fundo tentando voltar a ver as coisas de um maneira mais suave. Maus momentos me fizeram aprender a ver que nem tudo eram flores, mas que talvez sim, com espinhos. Tudo que vivemos nos torna parte que quem somos no futuro, um futuro até distante e medonho, um oceano profundo e escuro, esperando para ser explorado e mostrando que não é tão desconhecido, nem tão diferente do real. Com um vazio e esperança de criança, vamos contornando os obstáculos que aparecem, reaparecem e com o tempo, desaparecem.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

One day i will change?

Já passou um mês desse novo ano e eu ainda não me sinto uma nova pessoa. Sei que preciso mudar, preciso virar do avesso e começar a tratar as situações com mais responsabilidade, tenho vontade, me inspiro, fico triste quando penso no fracasso, tudo ao meu redor me inclina para frente, mas minha cabeça insiste em viver para trás. Querer é poder? Quero mudar, melhorar, quero ser outro alguém, quero ler mais, amar mais, viver mais, estudar mais, quero ser mais, ver mais meus amigos, não quero perder ninguém, quero ser quem eu já fui, não quero esquecer de quem eu virei. Quero tudo e quero o que não sei se é possível. Três coisas na minha vida necessitam de mudança: comportamento, pensamento e atitude. Gostaria de viver em um mundo onde tudo me lembrasse sofrimento e dor, eu veria tudo cinza e lutaria por um pouco de cor na vida. Você só vê que precisa mesmo levantar, não quando esta prestes a cair, mas quando já caiu e foi pisado por manadas de elefantes acima do peso normal. Não quero viver como todos acreditam que será e sim como eu sonho, meu sonho, não existe mais real do que ele, quero-o perto, sempre.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Angústia

Tem dias que a gente acorda com uma angústia que não sabe da onde vem. Dias que pensamos em acontecimentos ruins que já aconteceram, sinto como se me lembrasse só pra me torturar. Sinto uma vontade imensa de abraçar tudo que eu amo e segurar com muita força pra não perder. Acho que somos mais propensos a nos sentir assim em dias nublados, talvez porque pareçam mais tristes. E nesses dias, não é bom demonstrar carência, nem medo. O melhor é ficar quieto, deitado na cama, ouvindo sua música preferida e repetindo-a quantas vezes forem necessárias, ver um filme triste, comer algo gostoso, olhar com carinho tudo que houver em volta, porque nesses dias percebemos que podemos perder tudo. Parece burrice, mas as vezes desejo não pensar em nada disso e viver como se fosse ser tudo eterno, é menos sofrido. Mas pensar nisso me lembra que é uma mentira, e que pelo contrário, nada dura pra sempre.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

About you

Todos os dias parecem ser os mesmos, me pergunto o quanto vai durar essa rotina. Aliás, eu tento ter uma rotina, mas tudo que eu sei fazer é quebrar todas as regras que eu mesmo imponho. Tenho sempre que de alguma maneira estragar tudo, magoar as pessoas que eu amo e me fechar pra ninguém vir me encher. Tenho sorte de ter me libertado por dentro, apesar de parecer que só me tranquei mais e mais. Quando penso em coisas ruins, automaticamente não desvio mais o pensando, porque me conheço o suficiente pra saber que eu só vou melhorar quando expor todas as minhas ideias e organizá-las na minha cabeça. Tenho 19 anos e as vezes um coração de uma pessoa de sessenta, me sinto amargurada como se minha vida já estivesse escrita, é simples assim: realizo alguns sonhos, me decepciono com a maioria, perco as pessoas que eu amo aos poucos, tenho um trabalho que dependendo do dia eu detesto e nos outros é indiferente. A única coisa que não me deixo decepcionar é com o amor. O amor fica, o amor de todos que partiram, o amor que cresceu de algo pequeno e se tornou espetacular, o amor das amizades... A maior prova de amor que eu recebi foi a sensação de ser inteiramente correspondida, não importa o quanto o tempo passe ou o quanto eu passe a cada vez mais desacreditar no futuro da humanidade, o amor sempre vencerá todos os tabus, a partir dele existe a mudança, as pessoas mudam por ele. Eu mudei por você, me orgulho disso e esse espaço vazio que eu sempre senti se preencheu. Se de algum jeito o mundo ficar cinza, eu me lembro de você e por mais que não deixe tudo colorido com cores vibrantes, o cinza meio que derrete e eu vejo um pouco melhor.

Não tem sentido e foda-se

E de repente você percebe que não conhece nada e nem ninguém. Acaba descobrindo que existe tanta coisa por aí pra explorar, até mesmo o que você já conhece. Talvez todas as pessoas só sejam como elas são por causas externas que, mesmo que não se perceba, influenciam todos à sua volta, inclusive você. Porque a gente precisa de algo novo na nossa vida pra começar a apreciar o que há de bom nela? Não deveria ser preciso ver uma paisagem bonita, um gesto gentil, um sorriso perdido na rua, uma boa notícia no jornal... Deveríamos saber e querer acreditar que isso pode sempre acontecer. Existe amor, paz, paixão, carinho, respeito, atenção, gentileza, bom humor e tudo isso por aí. E então tudo aponta pra que você aceite e acredite, só que você, cansado do trabalho, das pessoas, esquece que as vezes pode ser bom também. Você pode ser tão interessante quanto acha aquela pessoa, não é ridículo o quanto acabamos nos diminuindo sempre? Esse texto não faz sentido nenhum e eu, assim como você, somos uma bosta.