Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Passagem de lucidez

É, aqui estou eu em plena quarta-feira de calor insuportável nessa cidade. É inverno e a temperatura chega a 35°C hoje, então porque não sorrir? Quer dizer, espero que você entenda pessimismo, aliás, calor, mais do que má educação deixa as pessoas infelizes. O mais legal é ver o quanto essa sociedade caminha para o fracasso, todo mundo fala que quer ser diferente, mas sempre são todos iguais. Uma pessoa surta quando é copiada por outra, sendo que a identidade dela não passa de outra cópia também... Se você reclama, você quer atenção, se você não liga, você quer atenção, se você manda tomar no cu, você é moderninho, se você é moderninho, você quer chamar atenção, se você fala demais, quer chamar atenção, se você fica quieto, você quer chamar atenção. Sinceramente, não dá nem pra pra se revoltar com a sociedade e xingar todo mundo, porque você também vai querer chamar atenção. Não é uma merda esse mundo? Enfim, sem querer me lamentar, se não, você ai vai achar que eu quero chamar aten... você sabe! Tá inferno de calor, todo mundo reclama, quando tá frio ou chovendo, todos se lamentam porque não conseguem aproveitar a vida. Será que se eu reclamar do tempo ideal vou parecer retardada? Porque é só isso que eu posso fazer, o resto o povão já fodeu com tudo mesmo, porque querer viver ainda? Tá eu sei, família, amigos, amor e todo aquele papo chato de sempre. Mas pensa, eu tô aqui escrevendo esse lixo, voltando sempre no mesmo assunto, me lamentando e criando a expectativa de que alguém no mundo quem sabe possa entender do que se trata esse texto. Não é sobre a sociedade, nem sobre mim, muito menos sobre você. Parece mais algo que vai e volta, logo não volta mais, porque tudo que vai, vai. Tudo o que fica muda, a vida muda, eu mudo e tudo vira do avesso, começa de novo e termina ao mesmo tempo. O que fazer? Nada, espera e tenta viver, sem precisar sobreviver, como todo mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário