Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Desabafo

Eu sou sozinha, fraca, idiota, estúpida e ridícula. Eu me odeio toda vez que me machuco, eu me odeio toda vez que me desobedeço, eu me odeio por me odiar por coisas tão supérfluas. Todo dia é a mesma coisa, eu me sinto bem, não bem, mas do jeito que eu gosto. Toda tarde é a mesma coisa, eu estrago meu esforço, eu pioro a minha situação degradante do pior jeito possível. Será que é impossível eu ser comum? Posso pelo menos por um dia não ter culpa, arrependimento, mal estar, posso pelo menos por um dia me controlar, é o que me faz bem. Realmente a cada dia é pior, cada dia essa doença piora e ninguém dá a minima porque sei disfarçar tão bem, ou simplesmente porque estão ocupados demais. Dou sinais, quase conto, mas sempre mantenho em segredo. Porque será que é tão difícil ser desse jeito? Eu odeio, eu só queria uma coisa e só isso, não todos esses problemas que vem junto. Quero ser como antes, quero ir aos poucos, porque nem aos poucos eu estou conseguindo agora, ando parada, ando agoniada, ando chorando como se fosse resolver alguma merda. Quero ter um espeço só meu, as vezes me sinto tão sufocada, porque isso foi acontecer justo comigo? Eu cansei de ser assim, quero fazer do jeito certo, mas o jeito certo está distante e eu só sei errar. Minha garganta dói, meu espelho mostra o que eu não quero ver, eu só quero mais e mais, eu já consegui, porque agora seria diferente? As vezes acho que preciso de um psiquiatra, alguém que me escute, falando as mais absurdas soluções pro meu problema que só tem uma. Mas não sei qual é, talvez eu saiba, mas vou continuar fingindo que não, melhor isso do que voltar a ser como eu era antes. Até comecei a pensar que antes eu era mais feliz, mentira das boas. Acredito sempre ter escondido esse meu lado neurótico e paranoico, mentira também. Não quero perder ou magoar as pessoas que eu amo, mas quero tanto a outra coisa que tenho medo de ela começar a me cegar, ou continuar me cegando e eu perder tudo o que eu mais quis, meus sonhos, minha vida. Porque não posso ser normal? Normal? Existe alguém que seja normal? Até ser normal virou esquisitice agora, todo mundo só finge, falsos, egocêntricos e hipócritas. Não espero que ninguém me entenda, aliás estou pouco me fodendo pra isso. Agora me explica uma coisa, se eu faço tanto esforço, eu teria que ter pelo menos uma boa recompensa né? Tá eu sei que eu tenho uma família, um namorado, amigos, boas notas... Mas não estou falando dessas coisas, eu sou grata por isso e agradeço todas as noites, estou falando daquela outra boa recompensa, aquela escondida que se assemelha com números a menos, alguns muitos números a menos. Depois de toda essa enrolação eu só quero saber de uma coisa: Posso ou não ter a porra do meu controle de volta? Você prometeu, make me perfect.

Nenhum comentário:

Postar um comentário