Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Desabafo

Todo mundo tem que se conformar com o que lhe é dado, é difícil, dói, machuca mas é o certo. Sempre tive uma preocupação que para outras pessoas pode parecer ridícula. Me sinto só, pareço só, mas não sei se me definiria como uma pessoa assim. Tenho meus amigos para o que precisar, tenho minha família. Mas há uma necessidade irritante de querer sempre mais e nunca achar o suficiente. Estar só é ótimo quando consigo lidar com a minha companhia, mas ultimamente ela anda sendo péssima, me colocando pra baixo, me fazendo pensar no que não quero. E querendo ou não a gente quase sempre se importa com o que os outros vão pensar e esquecemos que isso é problema deles. Tenho que colocar na minha cabeça que as coisas são seguir do jeito que tiver que ser e então esquecer todos aqueles problemas idiotas que no futuro não passaram de um detalhe. Muitas vezes não me permito ser o suficiente para mim mesma, mas eu sou. Penso em uma situação ruim que vivi esquecendo do jeito que deu certo. Sou humana, cheia de pensamentos inquietos e posso ser quem eu quiser. Mas é melhor se aceitar do que mudar, ser você do que querer ser outra pessoa. Se a cada dia me surpreendo com o que faço, se a cada dia começo a me conhecer melhor, quer dizer que eu não me conheço profundamente. E se nem eu mesma sei tudo sobre mim, os outros muito menos. As pessoas são só pessoas, com problemas como outros quaisquer, tem muita gente por aí, ninguém agrada a todos e eu posso fazer o mundo me ver de um jeito diferente do que vê. Tento melhorar a cada dia, mas tem tantas coisas que é difícil conhecer o quais devem ser mais importantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário