Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Sem você

No dia em que eu te conheci, sabia que sentia algo diferente. Aos poucos você começou a se tornar meu tudo, meu chão, meu ar. Sempre quis estar com você, precisava te sentir ao meu lado todos os dias. Hoje percebo que nada mudou, aliás, mudou sim, cada vez meu amor ficou maior. Quanto mais eu te tinha perto, mais meus problemas voavam pra longe de mim. Quanto mais tempo passava, mais eu via o quanto você era absurdamente especial e essencial na minha vida. Como o tempo passava tão devagar e tão depressa ao mesmo tempo, como tudo se encaixava. Quando eu não te tenho por perto, tudo fica tão vazio, sem sentido. Olho pro meu quarto e vejo você em todos os lugares. Te vejo tirando minhas coisas do lugar, espalhando as suas pelos cantos, desarrumando tudo que eu deixo organizado. Isso me tira realmente do sério e você sabe disso, mas parece que faz de propósito e quer me irritar, depois me abraçar e me fazer rir. Te vejo deitado na minha cama, me olhando, te vejo ao meu lado me abraçando. E todas essas lembranças parecem distantes quando você vai embora. Quero que fique tudo arrumado, mas preciso que você fique pra bagunçar tudo de novo. Não tem sentido ficar arrumando tudo quando estou sozinha. Sei que as vezes eu choro por nada, mas não é por nada. Eu tenho medo de te perder. Meu mundo derrepente ficou tão colorido com você, minha palavras soavam músicas, tudo parecia melhor e eu me sentia segura. Posso ter milhões de cicatrizes incuráveis dentro de mim, mas você amenizou cada uma, quase apagando-as. Não duvido que um dia consiga. As vezes acho que não consigo demonstrar o quanto você é importante e o quanto eu te amo. Talvez eu seja assim com todas as pessoas, mas tenho medo de ser assim com você. Eu preciso te falar o quanto é grande o que eu sinto. Ou pelo menos falar, não precisa entender. Tudo que eu disser vai parecer confuso mesmo, nunca vou conseguir explicar. Obrigada por me fazer sentir assim, tudo que eu sempre achei que não existisse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário