Uma coisa eu aprendi: você pode até ser legal com as pessoas, mas não espere que as pessoas sejam legais com você(...)De vez em quando, sofro horrores. Me decepciono, fico frustrada, chocada, com medo. Mas continuo mantendo a minha essência, sendo boa com quem é bom.Clarissa Corrêa.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Desabafo

Eu sou sozinha, fraca, idiota, estúpida e ridícula. Eu me odeio toda vez que me machuco, eu me odeio toda vez que me desobedeço, eu me odeio por me odiar por coisas tão supérfluas. Todo dia é a mesma coisa, eu me sinto bem, não bem, mas do jeito que eu gosto. Toda tarde é a mesma coisa, eu estrago meu esforço, eu pioro a minha situação degradante do pior jeito possível. Será que é impossível eu ser comum? Posso pelo menos por um dia não ter culpa, arrependimento, mal estar, posso pelo menos por um dia me controlar, é o que me faz bem. Realmente a cada dia é pior, cada dia essa doença piora e ninguém dá a minima porque sei disfarçar tão bem, ou simplesmente porque estão ocupados demais. Dou sinais, quase conto, mas sempre mantenho em segredo. Porque será que é tão difícil ser desse jeito? Eu odeio, eu só queria uma coisa e só isso, não todos esses problemas que vem junto. Quero ser como antes, quero ir aos poucos, porque nem aos poucos eu estou conseguindo agora, ando parada, ando agoniada, ando chorando como se fosse resolver alguma merda. Quero ter um espeço só meu, as vezes me sinto tão sufocada, porque isso foi acontecer justo comigo? Eu cansei de ser assim, quero fazer do jeito certo, mas o jeito certo está distante e eu só sei errar. Minha garganta dói, meu espelho mostra o que eu não quero ver, eu só quero mais e mais, eu já consegui, porque agora seria diferente? As vezes acho que preciso de um psiquiatra, alguém que me escute, falando as mais absurdas soluções pro meu problema que só tem uma. Mas não sei qual é, talvez eu saiba, mas vou continuar fingindo que não, melhor isso do que voltar a ser como eu era antes. Até comecei a pensar que antes eu era mais feliz, mentira das boas. Acredito sempre ter escondido esse meu lado neurótico e paranoico, mentira também. Não quero perder ou magoar as pessoas que eu amo, mas quero tanto a outra coisa que tenho medo de ela começar a me cegar, ou continuar me cegando e eu perder tudo o que eu mais quis, meus sonhos, minha vida. Porque não posso ser normal? Normal? Existe alguém que seja normal? Até ser normal virou esquisitice agora, todo mundo só finge, falsos, egocêntricos e hipócritas. Não espero que ninguém me entenda, aliás estou pouco me fodendo pra isso. Agora me explica uma coisa, se eu faço tanto esforço, eu teria que ter pelo menos uma boa recompensa né? Tá eu sei que eu tenho uma família, um namorado, amigos, boas notas... Mas não estou falando dessas coisas, eu sou grata por isso e agradeço todas as noites, estou falando daquela outra boa recompensa, aquela escondida que se assemelha com números a menos, alguns muitos números a menos. Depois de toda essa enrolação eu só quero saber de uma coisa: Posso ou não ter a porra do meu controle de volta? Você prometeu, make me perfect.

sábado, 13 de agosto de 2011

Esclarecendo pensamentos

Agora me lembrei, me lembrei de tudo que eu tinha esquecido quando estava obcecada por algo que nem sei o que é. Me sinto doente e sei que estou, quero me curar e não quero. Gosto dos efeitos positivos que isso me dá, me conheci mais, me ouvi, me dividi em três só pra me conhecer de verdade e agora sei com qual de mim quero seguir. É bem mais fácil, isso tudo ficou claro quando eu fiquei aqui, sozinha, quando eu quis e não pude, quando eu sofri e chorei, quando eu sonhei em ser e sabia que não conseguiria. Tudo para de fazer sentido e eu acabo esquecendo todos os meus propósitos de vida. Eu quero mais, eu quero uma vida sem preocupação, eu quero uma vida sem nó na garganta, eu quero uma vida sem dor. Eu quero algo mais profundo, quero esquecer os meus problemas, quero esquecer as minhas mágoas, quero meu ar de volta, quero meu chão. Mas ao mesmo tempo me senti completa por um momento, me senti no meu único lugar do mundo onde eu era entendida, me sentia perfeita mesmo não sendo, me sentia perto de ser o que eu queria, mesmo de longe. Me sentia feliz e infeliz, me sentia dividida, me sentia bem, gostava das sensações, gostava do diferente, e principalmente, por um momento, gostava de ser assim. E então me via dividida entre duas vidas completamente iguais e tão diferentes  por trás, quero levar as duas a diante, as duas podem seguir juntas?

sábado, 2 de julho de 2011

Inconstante

As vezes sinto uma fraqueza horrível em mim. Aquele sentimento repugnante de que posso não conseguir o que eu quero, de que posso falhar. Eu erro, eu caio, eu falho também e acerto. Mas porque esse sentimento de medo fica me rodeando quando o que eu mais preciso é de confiança? Por um momento consigo o que eu quero e então por algo superficial perco tudo e desabo. Sinto um desconforto pensando no que pode acontecer, no que pode acontecer que seja diferente do que eu planejei; me vem uma sensação de desespero, evito pensar o máximo, porque consigo me deixar perturbada facilmente com isso. Vivo tentando arrumar um jeito de fazer passar, de não me importar, de me desligar. É fácil, é difícil, é momentâneo.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Desnecessário

Depois de tanto esforço, de tanta confiança, uma coisa pode estragar tudo. E ainda tem coragem de me perguntar porque eu me afasto de algumas pessoas. As vezes eu canso de ser sempre perturbada por um fantasma que nem se quer existe. Eu odeio o fato de que tudo parece ter uma ligação comigo. Eu só queria viver a minha vida longe de tudo isso, me deixem, me esqueçam... eu não me importo mais. Só que depois, por favor, não venha atrás de mim como se tudo fosse voltar ao normal com uma simples palavra. Eu canso também, eu canso quando sou magoada várias vezes.

sábado, 21 de maio de 2011

Agora eu precisava de você, pra me dizer o quanto me ama e o quanto eu sou importante. Não precisava nem ser você, eu só queria alguém que me dissesse. Parece que é um daqueles dias em que você pensa em tudo que fez e começa a se perguntar se foi mesmo a coisa certa e se vai te levar pra onde quer. E se em algum instante você fez algo que mudasse tudo. Não gosto de imaginar um futuro sem você, sem nós. Hoje parece outro dia qualquer e eu só queria que tudo fosse mais fácil de encarar e de viver.

domingo, 1 de maio de 2011

Ansiedade

O que tem de errado com as pessoas? Eu queria entender tanta coisa. Queria entender qual é a da ansiedade que não te deixa dormir esperando alguma resposta, mas sem que você possa fazer alguma coisa. Cada vez mais enxergo as pessoas como prisões onde elas mesma se prendem. As coisas mudam, mas a forma dos sentimentos vai sempre permanecer; talvez algumas vezes de um jeito diferente, mas isso é raro. Existem mundos distintos em todos. Sinto uma mistura de sensações ao pensar em algo "desagradável", sinto angustia, ansiedade, medo, nervoso, e até um pouco de confiança. Pois é, mesmo que tão pequena ela existe. Ainda bem.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Angustia

Esperas deveriam ser extintas do universo. Tem coisa pior do que você ficar se remoendo querendo saber se uma coisa vai ser ou não vai? Será, será? Perguntas assim me rodeiam todos os minutos. Não consigo esquecer. Por um lado, você se sente bem, porque também não tem certeza de que é o ruim que vai acontecer. Mas por enquanto a gente vai levando, é o jeito. E precisamos sempre lembrar que o que tiver que ser, será? Isso parece tão confuso quanto o desespero de querer saber logo para ou dar um jeito, ou comemorar. Minha cabeça me faz essa angustia crescer a cada segundo que falo dela. Me irrita tanto, só queria entender. Posso ter fé de que o  que vai acontecer será melhor pra minha vida, mesmo que não pareça. Mas isso não é tão certo assim, quero uma chance de fazer valer a pena, quero meus esforços recompensados, quero uma carta branca pra fazer o que quiser. Preciso de um tempo, de todos e até de mim, que vivo me cobrando. E o que farei se não der certo? Seguir em frente, porque não tem solução. Mas a esperança ainda está ali, insistindo e insistindo. Espero que ela esteja certa. E estará.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Sentimentos comuns

Ultimamente ando tendo preguiça pra tudo, de escrever, de ler, de arrumar minhas coisas, de pensar em como tudo deveria estar sendo. A vida dá uma oportunidade, a vida tira essa oportunidade. A gente tem que aprender a cada vez mais aprender com as perdidas. De uns anos pra cá, tudo mudou de rumo, o que eu pensava que teria sempre, acabou se perdendo, virou ar e evaporou. Talvez eu acredite que minhas escolhas me levaram a isso, ou que quem sabe, isso seja só um bolo de coincidências que aconteceram a uma única pessoa. Se eu pudesse colocar em partes, tudo de estranho que eu não entendo bem  aconteceram comigo, e seriam muitas coisas. Sofri por várias delas, é sempre difícil enfrentar o mundo como ele é. Tropecei no meio do caminho, e talvez tenha sido em mim mesma. Posso ter colocado algo no caminho. Sempre pensei que se você não quer uma coisa ela não vai ser, se você pensa tanto que não quer, se você reclama tanto, ela vai ser tirada de você. Já aconteceu comigo e eu sempre vejo acontecendo com os outros. Mas agora é diferente, só quero uma chance, só uma. Quero pular uma parte da "vergonha" que eu sinto, por algo que para outras pessoas pode ser ridículo. Me sinto tão egoísta pensando nos meus próprios problemas, porque sei que tem gente passando por muito pior, mas por outro lado outras tão melhor. É como as pessoas falam, você não tem um fardo na sua vida, se não pode carrega-lo. Existem tantos pensamentos contraditórios que te empurram pra baixo, te jogam num buraco e só falta jogar algo em cima para que você fique ali preso e sem saída. A minha mente é um campo minado. Se eu penso em algo normal, me leva a outra coisa normal e então me leva a algo ruim que me persegue constantemente. Fico confusa e triste. Mas isso faz parte, tudo isso faz parte de nós e há muito mais, que quase ninguém entende. "Antes de acertar, é preciso ver o que você está fazendo de errado."

domingo, 27 de março de 2011

Untitled

Minha cabeça começa a doer a medida que eu penso nas coisas ao meu redor. Tento encaixar tudo e deixar tudo como deveria estar, mas tenho medo. Tenho medo do que pode acontecer e do que pode deixar de acontecer. Odeio me aborrecer com coisas que deveriam ser insignificantes pra mim. Acho quase todas as pessoas boas e confio em todas, por isso me decepciono com elas. Não sei se ultimamente ando acreditando em tudo que me dizem, tento ver com detalhes as situações, tendo enxergar o lado bom delas mas na maioria das vezes meus pensamentos me empurram para o lado pessimista de tudo. Pensar como tudo pode dar certo é tão fácil, e também é tão fácil dar tudo errado. O que você poderia deixar de ser num piscar de olhos, o que você pode perder em segundos. A maioria das pessoas não pensa no que eu penso em momentos normais. Observo cada um e tenho um conceito diferente, por incrível que pareça, nem todo mundo é totalmente ruim. As vezes as pessoas podem falar algo ruim, que pode ser interpretado pior, só para não se passarem por diferentes. Ninguém deveria se oprimir, ninguém deveria ser oprimido. Triste é ver todo mundo julgando os outros pelo que nem mesmo eles sabem que são. Ninguém conhece ninguém, ninguém conhece o mundo e acima de tudo, ninguém se conhece. Tudo é tão grande que nos torna ridículos. Os ridículos são os que não vivem como realmente deveriam. Todos os dias tento melhorar, todos os dias penso em como tudo seria se fosse diferente, pra melhor e pra pior. O problema é que sempre pra melhor, tem um lado pior e sempre pra pior tem um lado melhor. Equilíbrio? Talvez. Tem dias que desejaria matar todas as pessoas que me fizeram mal, que me maltrataram. Mas eu já errei também, já falei de outras pessoas e por mais que seja difícil admitir isso é verdade, todos somos assim. Por isso nunca julgar, por isso nunca ver um momentos de uma unica maneira. Deixar o que te magoou pra trás, só pensar no que virá e procurar melhorar. Sempre.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Desabafo

Todo mundo tem que se conformar com o que lhe é dado, é difícil, dói, machuca mas é o certo. Sempre tive uma preocupação que para outras pessoas pode parecer ridícula. Me sinto só, pareço só, mas não sei se me definiria como uma pessoa assim. Tenho meus amigos para o que precisar, tenho minha família. Mas há uma necessidade irritante de querer sempre mais e nunca achar o suficiente. Estar só é ótimo quando consigo lidar com a minha companhia, mas ultimamente ela anda sendo péssima, me colocando pra baixo, me fazendo pensar no que não quero. E querendo ou não a gente quase sempre se importa com o que os outros vão pensar e esquecemos que isso é problema deles. Tenho que colocar na minha cabeça que as coisas são seguir do jeito que tiver que ser e então esquecer todos aqueles problemas idiotas que no futuro não passaram de um detalhe. Muitas vezes não me permito ser o suficiente para mim mesma, mas eu sou. Penso em uma situação ruim que vivi esquecendo do jeito que deu certo. Sou humana, cheia de pensamentos inquietos e posso ser quem eu quiser. Mas é melhor se aceitar do que mudar, ser você do que querer ser outra pessoa. Se a cada dia me surpreendo com o que faço, se a cada dia começo a me conhecer melhor, quer dizer que eu não me conheço profundamente. E se nem eu mesma sei tudo sobre mim, os outros muito menos. As pessoas são só pessoas, com problemas como outros quaisquer, tem muita gente por aí, ninguém agrada a todos e eu posso fazer o mundo me ver de um jeito diferente do que vê. Tento melhorar a cada dia, mas tem tantas coisas que é difícil conhecer o quais devem ser mais importantes.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Lembrar para não esquecer

Sabe quando você sente que andou perdendo muito sem perceber? Perdendo aos poucos amizades, perdendo aos poucos lembranças, perdendo momentos. Ou você não perdeu, mas sim substituiu. Acho que é pior ainda, só que não existe tanta dor. Você relembra momentos e percebe que eles não existem mais. Mas tudo passa não é? Nem tudo eu acho, não tem como tudo passar. As coisas ficam, as mágoas, as lembranças, as pessoas que marcaram sua vida, aqueles dias felizes em que você se pergunta porque não pode ser sempre assim? Todo mundo reclama tanto, mas não ter é pior do que ter. Se eu pudesse fazer uma lista do que nunca perder, seriam de pessoas, aquelas que eu quero que estejam comigo sempre, não são muitas, mas são tudo.

Tempo e seus problemas.

Finalmente consegui vir aqui mais uma vez, problemas para decorar senhas e emails são comigo mesmo. O tempo anda passando tão depressa que nem me recordo direito como costumava a escrever meus textos, o tempo passa e por mais que pareça tempo de mais, é tempo de menos. Cada vez mais estou empurrando o que tenho pra fazer, péssimo hábito que tenho que cortar da minha vida rápido. Preciso de uma vez me organizar e encontrar um equilíbrio entre o que eu quero e o que é preciso. Nada vem do céu e isso todo mundo já sabe, mas ninguém se lembra. Também preciso rever meus conceitos sobre as pessoas, nem todas, algumas podem passar mil anos que serão sempre as mesmas ao meu modo de ver. Preciso limpar a bagunça da minha cabeça que não está pequena. Sabe quando você só quer organizar tudo e deixar tudo em ordem pra começar do zero? Pois é, quero resolver problemas, quero deixar o dia grande o suficiente para caber tudo que eu quero que caiba e que eu não me sinta cansada. Parece impossível pra mim, de tão relaxa com algumas coisas. Com outras sou extremamente organizada, mas não vem ao caso. O tempo nos trás pessoas boas e ruins, lembranças também, situações para encarar, momentos em que fracassar é o que você precisa pra aprender. Se você tem que passar por algo ruim, que pelo menos seja da forma mais agradável possível né?

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Thoughts

Conhece aquela sensação de que nada é o bastante? Aquela sensação de falta, de sentimento machucado mesmo não tendo acontecido nada que mostre isso realmente? Sinto como se a vida se passasse diante de mim e eu olhasse com felicidade e tristeza. Abraço os melhores momentos e os vivo intensamente, os guardo comigo onde ninguém vai tirar. Nos momentos ruins faço o mesmo, parece que nesses minha mente vai mais além me levando a algum lugar desconhecido onde eu fico calma mas também atenta. Dúvidas serão sempre dúvidas, esclarecidas ou não. Percorro o mundo sem sair do lugar, imagino dez anos no futuro e dez minutos, tudo é uma surpresa. As coisas vão se ajeitando com o tempo, o coração ferido vai se cicatrizando até ter outro machucado e começar tudo de novo. Não dá pra ser completamente feliz, completamente triste, não se pode ser completamente. A vida é feita de momentos diferentes, sensações diferentes. Nada é igual.

Uma parte de tudo

As vezes o mundo parece virar de ponta cabeça esperando que você coloque tudo de volta no lugar. Mas isso nunca é possível, o rumo das coisas mudam e querendo ou não é difícil interferir. Antes era um sentimento, agora já é outro, não dá pra controlar. Atentamente observo cada sutil detalhe da minha vida e vejo como algumas mudanças interferem em outras, como algumas palavras interferem em sentimentos, como gestos interferem no universo. Pensar que algo tão pequeno pode ser tão grande, é complicado e quase estranho de imaginar isso. Somos um nada perto de tudo, temos tantas perguntas e a maioria sem respostas, tantos medos sem esclarecimentos, tanto a se pensar e nos preocupamos com o nada. Escrevo e não consigo explicar meus verdadeiros objetivos, penso mas nada sai no papel, imagino mas nada sai da minha cabeça. Planos idealizados e quase mortos, por cada um e por mim mesma. Sei o que preciso fazer, mas preciso mesmo? Não tenho certeza de nada, nunca vou poder ter uma exata certeza, as coisas são assim e isso assusta qualquer um que imaginar.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Dentro de cada um

Tão cedo e tão tarde ao mesmo tempo, tarde para voltar no tempo e concertar erros, tarde para explicações, tarde para o que já passou. As vezes me sinto sozinha, acuada e apesar de eu me sentir mal, nesses momentos eu percebo o quando me dou bem comigo, o quando me suporto, o quando me entendo. Não preciso provar para ninguém como eu sou, o que eu sinto, o que está dentro de mim. Isso é meu e só meu. Não acho justo pessoas quererem me julgar se não sabem o que se passa na minha cabeça, no meu coração. Se seguissem essa regra ninguém poderia julgar ninguém, porque somos todos assim. Acho que você nunca vai conseguir mostrar a todos tudo que você quer e se quiser. Eu nunca iria querer, existem assuntos que são meus e vão ficar comigo, eu não compartilho. Sou um livro fechado, trancado, guardado em um cofre. Não mostro a quase ninguém, não gostaria que vissem e quem vê são poucos, meus poucos confiáveis. Esses guardo comigo com todo carinho do mundo, alguns distantes e mudados mas não deixaram de ser meus poucos. Em momentos o mundo te condena, fala o que pensa e temos que aceitar, nada pode ser completamente perfeito, como queremos. A vida te derruba e te levanta, é feita de tempos bons e tempos ruins, pessoas felizes e tristes. O mais difícil e complicado de tudo isso é entender, entender o que se passa com o outro, o mais impossível é isso... não dá pra saber.

Complicações e contradições

Cansa ser sempre a mesma pessoa, fazer as mesmas coisas chatas, assistir os mesmos programas na televisão, comer o de sempre, vestir o de sempre. Existem dias em que você acorda querendo mudar tudo, os móveis de lugar, o lugar onde vai passar o dia, o guarda-roupa, a vida. Ficar horas revirando as gavetas, jogar o que não presta fora e até o que presta. Bagunçar tanto pra arrumar, fica uma contradição. Depois de tanto mudar, de tanto mexer no que já estava cheio de poeira você se sente melhor. É sempre bom mudar. Mas nunca é tão fácil mudar o que está dentro de nós, não conseguimos jogar o que não presta fora, não conseguimos mexer ali, não dá. Aquilo vai se acumulando e não tem um jeito de mudar. Você fica sempre colocando mais sentimentos, mais lembranças, mais de tudo e não pode descartar o que marcou. Algumas coisas ficam escondidas em algum lugar mas não se perdem, não são trocadas. No fim de tudo, é até bom, ter.

Escolhas

De uns dias pra cá me sinto diferente, como se algo tivesse mudado dentro de mim mas eu não soubesse. Sinto como se eu precisasse de todo o apoio possível, todo o amor e companheirismo que eu sempre tive. Como se eu precisasse de tudo isso pra sobreviver. Eu sei que tenho de verdade, mesmo que hajam dias em que eu desconfie. Enfrentar a vida não é fácil, enfrentar o mundo não é fácil e enfrentar a si mesmo é ainda mais difícil. Me sinto angustiada, agonizada e insegura. Sei que nada é certo, mas parece que essa frase não sai da minha cabeça. Tenho medo dos meus planos darem errado, como qualquer um. Posso até ter ficado mais madura, me olhar no espelho e ver alguém diferente, alguém melhor, alguém que sabe lidar com as situações e espero que isso nunca mude. Falo que não tenho tempo pra quase nada, mas eu tenho e muito. Quero ver como vai ser quando eu não tiver mesmo tempo pro importante. Não quero esquecer minhas prioridades e meus objetivos, não vou e já escolhi isso. Mas é sempre uma surpresa, o rumo como as coisas tomam, o rumo que a vida toma e é especial.

Always remeber

Momentos que não voltam, lembranças que não são mais nada além disso. Tanta coisa pra pensar e eu sempre na mesma. O passado não tem volta, querendo ou não isso é triste. Eu gosto de me lembrar do passado, de brincadeiras ridículas que me faziam rir, de momentos ruins que no final eram bons. Sinto falta do passado, apesar de gostar do presente. Não seria capaz de jogar tudo pro alto e tentar recuperar o que eu perdi, mas se me oferecessem uma chance de juntar meu passado com o presente eu tenho absoluta certeza que tudo se tornaria ainda mais perfeito. São amizades que se perdem, mas mesmo assim continuam, fracas mas sem romper o laço, sem ser a mesma mas com duas pessoas lutando para não acabar de vez. São risadas sem sentido nenhum e por isso era tão bom. Rir de qualquer besteira é tão bom, mostra felicidade. Penso tanto no futuro que esqueço o quanto fui feliz no antes. Não posso esquecer quem eu sou, quem eu fui. Não posso esquecer quem já esteve comigo nas piores horas da minha vida, não posso esquecer de como eu fui inteiramente feliz, não posso e não quero esquecer. A vida é feita de vida, inteira, sem cortar pedaços.

Just thinking

Quem nunca idealizou alguma coisa e na verdade o resultado foi exatamente o contrário? Sempre acontece comigo e já está virando um rotina desgastante. Imagino o que pode acontecer e perco o foco, perco minha linha de raciocínio. Não tem como pensar com tantas pessoas te pressionando, com tanta gente de olho em você e esperando você errar. Querendo ou não, a maioria das pessoas só quer seu fracasso e é muito difícil achar quem não é tão egoísta assim. Tenho algumas pessoas especiais guardadas comigo, que eu tenho certeza que me apoiariam a cada decisão, mas também conheço aquelas que iriam me apunhalar pelas costas. O mundo é feito disso, erros, acertos, verdades e mentiras. Cada um escolhe o seu lado e seu modo de agir. Nunca pensei desse jeito, dividindo tudo e organizando. Aliás, de uns tempos pra cá, estou com uma mania de querer que tudo esteja em perfeita ordem, bem capricorniana apesar de não acreditar muito ser isso mesmo. Sempre quis que tudo na minha vida fosse acontecendo em sintonia, de uma forma natural e não forçada, mas sempre do meu jeito. E é muito difícil isso acontecer, como meus planos foram atropelados por inúmeros acontecimentos poderia dizer que a forma natural que eu sempre quis foi até meio forçada. Nunca imaginaria viver minha vida como estou agora, tantas surpresas que me perco lembrando. Qualquer um diria que tudo virou de pernas pro ar, mas eu acredito que o que aconteceu iria acontecer de um jeito ou de outro, não teria como fugir e agradeço por isso. Cresci e aprendi, me decepcionei com as pessoas, com o tempo, até comigo mesma. Não escolheria outro jeito de passar por essa fase.

Memórias

Quando me perco em meus pensamentos, mergulho no que há de mais profundo em mim. Tantas coisas acumuladas, escondidas e reviradas. Quero esquecer um pouco isso, procuro fazer outra coisa e decido que vou organizar minhas fotos. O que elas são além de lembranças em um folha? Seria tão fácil apagar lembranças quanto é fácil apagar fotos, videos, mensagens, imagens. Gostaria que fosse, seria melhor, mais objetivo e poderia escolher o que quero guardar em mim. Excluiria minhas lembranças de sofrimento, de dor, de desespero e todos os meus medos. Quem sabe restaurar algumas perdidas? Esconderia as mais especiais, para nunca serem esquecidas ou misturadas. As mais felizes, expor seria uma boa ideia. Mas não faz sentido algum esse meu complexo de querer organizar até o que esta dentro da minha cabeça. O que foi apagado, foi porque deveria ser. Se eu tiver que esquecer, esquecerei. Se tiver que lembrar, lembrarei. Acredito que nada é perdido, apenas escondido ou substituído.

Mudanças

Minha vida nunca é a mesma, por mais que eu queira ela é uma constante linha de mudanças. Querer que fique sempre igual eu quero, quando tudo está em paz. Querer que tudo mude, quando tudo parece perdido, eu imploro quando acontece. Mas aprendi que um ótimo jeito de manter o que você quer sempre ali, com você, é vivendo cada dia por vez, sem pensar em amanhã, sem pensar em semana que vem ou ano que vem. Pensar no futuro sempre me deu um nó na garganta, pensar no dia seguinte, me dava uma esperança. Então sempre que eu penso no futuro, lembro de um futuro próximo, onde tudo está quase na perfeita ordem do presente. O que muda aos poucos dói menos do que algo que vem como um explosão. A explosão acontece, você não sabe o que fazer e desaba. Já o que muda devagar não, porque você já teve tempo pra pensar em soluções.

Distrações

Vou na varanda de cinco em cinco minutos, olho pro céu e não vejo nenhuma estrela, não vejo a lua, só vejo um céu nublado e sem vida. Talvez eu não esteja procurando por nenhuma dessas coisas, talvez eu esteja querendo só passar o tempo. Um tempo precioso que eu perco uma parte todos os dias, que todos perdem. Um tempo que me faz pensar em tudo ao meu redor, em todas as possibilidades. Procuro sem encontrar a felicidade que já é minha e ninguém me tira, ninguém tem nada com isso. Vou andando por aí, sempre querendo algo a mais. Deito na minha cama e decido que vou pensar sobre a minha vida. Penso e me pergunto: Pensar mais ainda? Chega de pensar nela, de me preocupar com cada milímetro do que pode e vai acontecer, chega de imaginar o irreal, chega de pensar no que penso todos os dias, sem descanso. O tempo passa rápido e nada é pra sempre. Sábia frase que eu gostaria de me lembrar todos os segundos. Mas eu me distraio, com o movimento, as pessoas, os sons que não consigo diferenciar. Ainda bem que me distraio, viajo pra longe sem sair do meu lugar.

Obstáculos

Como seria lidar com uma situação que você tenta evitar desde que começou a se questionar sobre sua vida? Não é nem um pouco fácil, quase nada fácil. É como se derrepente tudo mudasse de direção, como se sua vida virasse de cabeça pra baixo e não houvesse nada que você pudesse fazer. Muitas pessoas, ao vivenciar isso podem querer mudar o rumo e fazer as coisas se encaixarem. Mas não se deve lutar contra aquilo que você tem que ultrapassar. Tenho um medo, sempre tive e já o enfrentei algumas vezes. Vou ter que mais uma vez passar por isso e talvez essa seja uma das piores, mas eu tenho que me lembrar também que não sou mais quem eu era. Mudei, por dentro e por fora. Minhas atitudes mudaram e meu modo de enxergar o mundo também mudou. Quem sabe dessa vez não faço tudo certo e nunca mais tenho que me preocupar com o que me aflige. Tenho certeza de que esse é um ano que vou ter que provar muito pra mim mesma do que sou capaz, do que posso fazer e até aonde posso chegar. Saber quais são minhas prioridades e me conhecer ao ponto de me entender quando enfraquecer. Aliás, não posso ser sempre inteira. Muitas vezes uso uma máscara para esconder quem eu realmente sou, esconder meus sentimentos, pensamentos e desejos, até de mim mesma. As vezes a máscara cai e eu me vejo no espelho com todos os meus defeitos e todas as minhas qualidades, vejo que sou forte mas posso chorar se algo der errado, vejo que tenho vontade de fazer o que eu quero mas que posso errar também. Sou humana, imperfeita e cheia de preocupações na minha cabeça. Sou só mais alguém com sonhos destruídos e sonhos que quero realizar.

Sem você

No dia em que eu te conheci, sabia que sentia algo diferente. Aos poucos você começou a se tornar meu tudo, meu chão, meu ar. Sempre quis estar com você, precisava te sentir ao meu lado todos os dias. Hoje percebo que nada mudou, aliás, mudou sim, cada vez meu amor ficou maior. Quanto mais eu te tinha perto, mais meus problemas voavam pra longe de mim. Quanto mais tempo passava, mais eu via o quanto você era absurdamente especial e essencial na minha vida. Como o tempo passava tão devagar e tão depressa ao mesmo tempo, como tudo se encaixava. Quando eu não te tenho por perto, tudo fica tão vazio, sem sentido. Olho pro meu quarto e vejo você em todos os lugares. Te vejo tirando minhas coisas do lugar, espalhando as suas pelos cantos, desarrumando tudo que eu deixo organizado. Isso me tira realmente do sério e você sabe disso, mas parece que faz de propósito e quer me irritar, depois me abraçar e me fazer rir. Te vejo deitado na minha cama, me olhando, te vejo ao meu lado me abraçando. E todas essas lembranças parecem distantes quando você vai embora. Quero que fique tudo arrumado, mas preciso que você fique pra bagunçar tudo de novo. Não tem sentido ficar arrumando tudo quando estou sozinha. Sei que as vezes eu choro por nada, mas não é por nada. Eu tenho medo de te perder. Meu mundo derrepente ficou tão colorido com você, minha palavras soavam músicas, tudo parecia melhor e eu me sentia segura. Posso ter milhões de cicatrizes incuráveis dentro de mim, mas você amenizou cada uma, quase apagando-as. Não duvido que um dia consiga. As vezes acho que não consigo demonstrar o quanto você é importante e o quanto eu te amo. Talvez eu seja assim com todas as pessoas, mas tenho medo de ser assim com você. Eu preciso te falar o quanto é grande o que eu sinto. Ou pelo menos falar, não precisa entender. Tudo que eu disser vai parecer confuso mesmo, nunca vou conseguir explicar. Obrigada por me fazer sentir assim, tudo que eu sempre achei que não existisse.

Certezas

Sempre coloquei meus pensamento no papel, mesmo que fossem apenas frases, mesmo que fosse um texto explicando algo a alguém, mesmo que fossem situações sobre as quais eu vivi. Procuro sempre guardar essas lembranças colocadas nas folhas. Para ver como imaginava o mundo, como mudei minha opinião, como amadureci. Mas nem sempre foi assim, muitas vezes descobri mais maturidade antes do que depois. Isso as vezes pode machucar, ou servir pra aprender. Percebi que a cada fase da minha vida escrevia de um jeito diferente, algumas vezes com mais alegria escrevia sobre algo engraçado, algumas vezes com tristeza falava sobre alguém, mas sempre falei de mim de um jeito só, um jeito único. Acho que nunca tive problemas em ser quem eu sou, sempre me conheci bem pra saber o que é realmente bom pra mim. Sempre soube que caminho escolher, quando errei e quando acertei. Uma das minhas únicas certezas foi sempre isso, ainda bem.

Fugir da realidade

Estar em algum lugar com quem você gosta e esquecer os problemas, o que te impede de fazer o que quer, o que te faz mal e todo o resto. É uma fuga. Fugir disso as vezes, não é covardia. Cada um e todos tem o direito de querer fingir que tudo está bem e acreditar nisso. Sempre faço isso, pelo menos uma vez por semana eu arranjo meu refúgio. Estar lá me faz sentir segura, me faz sentir inteira. Mesmo que eu não esteja nenhuma das duas coisas, lá eu me sinto como se estivesse. Não que minha vida seja cheia de problemas, a de ninguém é. No máximo são reviravoltas, como um mar onde as ondas vem e vão. Tudo vem e vai, nada é pra sempre. Como eu queria que alguns momentos fossem pra sempre. Os de refúgio então, nem se comparam. Mas não se pode viver só disso, enfrentar a realidade faz você ficar mais forte e crescer, se conhecer, conhecer o mundo. A vida é assim e agradeço por ter em que me apoiar.

Momentos passageiros

É difícil acreditar na sua capacidade quando nem as pessoas que você ama fazem isso. Seu apoio, seu chão, não existem. Como se o que estiver sonhando fosse alto demais. Não é. Todos tem mania de querer o pouco, o básico. De pensar que a estrada é tão ruim que não valha a pena percorrer. Em alguns momento penso assim, os piores e passa. Sempre passa. Não importa o quanto você se sinta um lixo, o quanto você tenha brigado com quem mais ama, a raiva passa, a tristeza passa. Assim como a alegria também passa. Os dias infernais que você achou viver passaram, no fim um vazio, uma falta. Eles não eram tão ruins assim não é? Era você que só via o seu lado egoísta, só via o lado ruim de tudo. Mas nem tudo pode ser totalmente ruim. Penso em períodos da minha vida e vejo que pequenos sacrifícios valiam. Percebi o que eu ganhei e o que perdi. Se colocar numa balança teria muita diferença. Ganhei muito mais. Acho que então eu não preciso que acreditem em mim para ter capacidade. Eu acredito, pronto.

Pensamentos em manhãs


Acordei cedo hoje e não pela razão que deveria. Meu despertador iria tocar um minuto depois do minuto que eu acordei. Coincidência? Preocupação? Talvez os dois. Pela primeira vez em dois meses comecei a pensar sério em como vai ser daqui pra frente. Sinto uma sensação conhecida, de angustia e medo. Mas já sei como lidar com ela, sei quanto tempo demora pra ir embora, sei até que te tanto sentir já me acostumei. Isso não me faz mais tão mal, não me afeta tanto igual antes. Isso é bom, mas nunca tenho certeza se é isso mesmo. Me engano muitas vezes, me engano para não sentir isso. Me finjo mais forte do que sou, pra superar o que preciso. Acho que assim acaba dando certo e no fim, apesar tudo me sinto melhor, como mais um obstáculo que passei. Se é esse o jeito que eu encontrei de fazer não doer tanto, por enquanto basta.

Tentando entender

A gente nem sempre pode se livrar de tudo. Algumas coisas voltam para te atormentar. Algumas coisas ficam na sua cabeça só esperando o momento certo de perturbar seu sossego. Se misturam com outras e no fim do dia, você está cansado e cheio de problemas. Com medo do que pode acontecer. A dor é inevitável mesmo, então porque não se arriscar? Ninguém ainda morreu de sofrimento. Crescer dói, amadurecer também. Mas se no fim da vida eu tiver lembranças de momentos de felicidade, de paz, amor e de uma paixão, não teria valido a pena?

Perseguições em mim

Não gosto de me sentir como se tivesse feito algo errado, mesmo não tendo feito nada. Esses pensamentos ficam latejando na minha cabeça até que eu comece a pensar neles com mais precisão. Quando eu penso, não gosto, não me sinto bem, como se não me conhecesse. Parece que existe um outro eu dentro de mim, querendo destruir tudo que eu sou hoje, minhas opiniões, meu jeito, meus sentimentos. Tento me desligar mas não consigo, a cada cinco minutos ou menos tudo isso vem na minha cabeça como um raio e me confunde. Procuro me distrair, mas eu não me deixo em paz. E o único modo que eu encontro de fugir disso, é pensando em tudo, sem esquecer de nenhum detalhe e então me acalmo e tomo alguma decisão.

 

Discutindo comigo mesma

Me sinto péssima brigando com as pessoas que eu gosto, só pelo meu jeito estabanado e confuso. Odeio realmente querer tudo do meu jeito. Sei que isso nunca vai dar certo, ou eu vou me magoar ou magoar as pessoas que eu amo. Paciência já é uma virtude que me falta, ainda mais sendo mimada assim, acho que é essa a palavra certa. Não gosto de sentir como se o universo estivesse conspirando contra o meu favor. Aliás, como eu já li num livro, o universo só conspira de acordo com os nossos pensamentos. Quando eu li, achei o máximo, claro que colocar em prática é muito diferente, com tudo, não só isso. Algumas coisas até funcionaram, ou pelo menos foram coincidências para eu achar que sim. Mas de resto não, talvez por falta de fé, talvez por falta de pratica, ou até porque nunca funcionariam mesmo. Sou bem confusa nesse ponto, acreditar ou não nas coisas que são ditas sobre o pensamento humano. Acreditando ou não, acho que vou sempre ser assim, espero que eu mude, ou não. Sou tão contraditória que até me perco.

Qualquer dia em algum lugar

Uma vez pensei que minha vida seria feita somente dos bons momentos que eu vivi, que esqueceria os ruins e no fim dela, só lembraria como eu fui feliz. Mas agora eu vejo que isso não é tudo, é preciso sim ter momentos de harmonia paz e serenidade, mas também os tristes. São eles que nos fazem sentir bem. Afinal, como eu vou saber que estou sendo feliz se não conheço a tristeza?

Feelings

Muitas vezes tive medo de perder o que eu conquistei, algumas vezes eu perdi, algumas vezes reconquistei. Esse medo vai sempre estar comigo, faz parte de mim. Não sei se posso dizer que sou uma pessoa segura. Tenho meus defeitos como qualquer um. Me sinto tão boba escrevendo todos esses textos, mas expressar meus sentimentos me faz sentir melhor. Cada vez que passa na minha cabeça perder alguém que eu amo, eu sinto como se fosse explodir, como se a culpa toda fosse minha, como se não tivesse agido de um modo certo. Sempre me culpo, sei que na maioria das vezes posso parecer exagerada demais com alguma briga, algum ciúme, mas eu sou desse jeito e tenho até orgulho disso.

Coisas que acontecem

Engraçado como a palavra "novo" soa estranho pra mim, sempre tive medo dos meus planos darem errado, de ter que entrar num mundo onde nada é certo, onde tudo pode acontecer a qualquer momento. Minha vida começou a ficar assim no começo desse ano. Um pessimista diria que estava tão escura que não conseguia ver uma palmo a frente, como se a qualquer hora pudesse cair e desmoronar. Já o otimista acreditaria que é cheia de surpresas que te fariam crescer e ser cada vez mais feliz. Infelizmente minha cabeça não gosta muito do meu lado otimista e então só pensava em como tudo podia dar errado e em como as pessoas pensariam coisas ao meu respeito. Que bobagem. Ao longo do ano tive a sensação de que nem tudo é maravilhoso e nem tudo será sempre surpresas boas, algumas podem te machucar e outras te perseguir, mas o pessimismo vai sempre ser vencido por mais que você acredite nele, a vida é um equilíbrio. No fim das contas, ou pelo menos do ano, me sinto feliz. Fiz coisas que nem passavam na minha cabeça, surpresas aconteceram. Nem tudo é maravilhoso, mas alguma coisa vai ser. Ou quem sabe muitas coisas. Relembro alguns momentos e sei que se eu não tivesse entrado nesse mundo desconhecido, elas nunca aconteceriam. Agradeço pelas pessoas que conheci, pelas lembranças que ganhei e pelo laços que criei, sei que por mais ruim que alguma coisa possa parecer, ela tem sempre um lado bom.

Vazio

Me sinto estranha, acordo e não sei o que fazer, o que procurar. Penso em fazer as coisas da minha rotina normal, comer, estudar, mas isso não parece suficiente.Quero algo a mais. Ouço as musicas do rádio, algumas velhas, outras novas de mais, nenhuma me agrada mesmo. Canso e fico no silêncio, tenho preguiça de ouvir minhas próprias musicas, porque provavelmente vou ter que pegar no celular ou no mp4 que não estão perto de mim. Bom, foda-se. Me irrito tão facilmente mesmo que prefiro o silêncio, mas nem sempre ele é bom, as vezes ele me trai, me faz ouvir barulhos normais que minha mente entende como diferentes e fico com receio. Que tolice. Penso nas coisas que vou ter que fazer no dia, já me desanimo, quando penso em não fazer nada, sinto como se não pudesse desperdiçar o dia. Odeio querer fazer as coisas e na hora não querer mais, sou contraditória, porque tive que ser assim? Cansei das mesmas coisas, o que eu queria mesmo é mudar, ter um dia diferente do outro, fazer coisas que normalmente não faço, não me prender tanto às coisas materiais. Tem tanta coisa que eu queria mesmo fazer. Mas hoje me sinto tão bem, corrigindo,agora me sinto tão bem. Nem todos os dias são perfeitos, a diferença das pessoas que dizem tê-los é que elas esquecem as partes ruins.

Untitled


Vou tentar escrever de novo o que eu já escrevi umas dez vezes... e pensar, bom eu já pensei umas infinitas vezes. Tentar escrever sem ser tão dramática como na primeira, sem ser tão melosa como na segunda, tão triste como na terceira, tão confusa como na quarta, etc etc etc. Espero que eu acerte dessa vez. Pensei em tudo e não cheguei a nenhuma conclusão, eu nunca chego, isso é impossível comigo. Sei que não nos falamos mais e isso foi por besteira minha mesmo. Eu não queria falar com você, estava chateada. Com tudo que aconteceu, com o que você falou, com o que eu falei, com tudo. Achei que fazendo isso quem sabe eu esqueceria um pouco essa história toda, parava de me sentir tão culpada, tão confusa... me enganei. Deitei e dormi, pra minha surpresa você estava ao meu lado, mas eu não estava mais em casa, ou seja, era um sonho. Mesmo sabendo, fingi que não e funcionou, foi tão bom não lembrar do desentendimento, estar com você sem cobranças e sem erros. Quando acordei não lembrei do sonho, foi só levantar e pensar em você que ele veio na minha cabeça. Pensando nisso eu só conseguia querer cada vez mais que tudo se acertasse, odeio me sentir assim, odeio não ter você por perto. Parece que faço disso um drama, como na primeira vez que eu escrevi, não ligo muito. Eu te amo e só queria que você entendesse, que isso é tão grande que nem cabe mais em mim.

You

Ontem eu fui dormir pensando em você, como todas as noites e todos os dias desde que eu te conheci. Mas foi diferente, com uma sensação não muito agradável, como se tudo tivesse ficado sem cor. Eu odeio me sentir assim, acho que essa é a palavra certa, parece que falta metade e mesmo assim, mesmo eu sabendo dessa falta, não quero acreditar. Você é meu chão realmente, porque quando não está perto eu fico sem saber pra onde ir, que caminho percorrer. A pior coisa que poderia acontecer na minha vida é perder a melhor coisa que apareceu nela. Não te perdi, sei disso... Mas só o fato de pensar nisso quando nós nos desentendemos me faz sentir como se meu mundo desmoronasse.

Procurando um sentido

Alguma vez você já se perguntou: Que porra eu estou fazendo da minha vida? Pois é, eu estou me fazendo essa pergunta todos os dias e não está sendo nada fácil de responder. Penso nas coisas que eu tenho que fazer e elas simplesmente viram problemas gigantes. No momento é extremamente difícil eu concordar comigo mesmo. Sei que isso parece contraditório e é, mas é a verdade. Em toda a minha vida tive oportunidades de fazer as coisas de um jeito melhor, mas nunca ninguém quer esse jeito e eu sou uma dessas pessoas. Um jeito melhor é aquela velha história: existe o caminho mais curto, entretanto é cheio de pedras, curvas tortas e paisagens assustadoras...já o mais longo (jeito melhor) é como um vale calmo onde há rios, árvores e uma bela paisagem. Percebi que a história é uma metáfora para as crianças entenderem como as coisas funcionam, mas ainda serve de exemplo para mim. Refletindo um pouco, eu me dei conta de que sempre erro nas mesmas coisas e sempre tenho inseguranças com elas, isso faz de mim um completo idiota, porque eu já passei por várias situações onde eu sempre venci minhas inseguranças mas sempre tenho que vence-las de novo e de novo. Quem sabe um dia eu aprendo.

Passagem

Realmente, eu odeio fim de ano, sem exceções. Reconheço que odiar é uma palavra forte, então vamos mudar isso... Eu detesto o fim de ano. Todos eles são feitos de sensações que eu não gosto de sentir. Sensações que eu poderia adiar só para janeiro ou fevereiro, mas não, eu insisto em pensar nelas desde novembro e então passo os dias num martírio dentro de mim mesmo. Onde eu nunca sei o que fazer, nunca sei o que pensar, aliás eu sei o que pensar e penso muito, mas em coisas que não são necessárias e que me fazem querer não existir. Prefiro não compartilha-las.Quando chega dezembro é hora de pensar no ano que passou e rever o que aconteceu, outra tragédia para mim, porque sempre me lembro de coisas ruins e de coisas que não quero passar novamente. Mas não pensem que eu sou só um baú cheio de más recordações e sentimentos agonizantes, porque eu sou muito mais que isso, tenho em mim também lembranças sinceras e serenas, lembranças de paz e de felicidade, momentos que parecem só existir nos filmes, mas que quem já viveu nunca diria isso. Então eu passo do fim de ano me forçando a lembrar só das coisas boas que me aconteceram, não somente nos últimos doze meses, mas nos últimos anos. Mesmo que minha vida continue assim, sempre os mesmos sentimentos e recordações, eu vivo feliz, porque sei que são eles que me dão força, para que eu sempre continue.

Porque

Meu primeiro post aqui eu dedico à mim mesmo. Mas isso não quer dizer que a cada texto que eu postar terei que dedicar à alguém, isso iria me deixar com preguiça antes mesmo de começar. Decidi fazer esse blog há alguns minutos atrás, com a função de que eu possa expor minhas ideias e falar sobre as coisas. Por isso também o título. Sem ficar enrolando vocês agora, já vou adiantar-lhes que eu sou uma pessoa que gosta de mudanças. Acho que não existe o que melhor me defina, porque eu mudo de opinião a cada segundo que passa, mudo de humor e posso mudar o jeito que eu escrevo ao decorrer do texto. Infelizmente, as pessoas, querendo ser sempre iguais, acham que são como eu e isso é uma coisa que me tira realmente do sério. Espero que tudo ocorra como o esperado.